×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de maio de 2022

Servidores x Governo Bolsonaro

Servidores x Governo BolsonaroFoto: Reprodução / Câmara dos Deputados

Deputado Hugo Leal (PSD - RJ), relator-geral do Orçamento

Adunb - 17/01/2022 - 20:45:48

Em defesa de tratamento isonômico para reajuste salarial, diversas categorias articulam mobilizações

Aprovado na Câmara dos Deputados, o Orçamento de 2022 prevê R$ 1,7 bilhão de reajuste apenas para as forças de segurança (Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Departamento Penitenciário Nacional).

Pressionado pelas demais categorias do serviço público, o Governo Federal, por meio do secretário do Tesouro Nacional, Paulo Valle, disse que a diretriz é de não reajuste em 2022.

A se confirmar a decisão, ela transgredirá o princípio constitucional de tratamento isonômico para todos os servidores públicos.

Diversas categorias já se articulam para aprovar um calendário de mobilizações preparatórias, se preciso, à paralisação nacional.

Na última quarta-feira (12), o presidente da ADUnB, Prof. Jacques de Novion, participou de reunião da setorial do ANDES – Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior que tratou da situação salarial dos servidores públicos federais e da construção unificada de luta no Fonasefe (Fórum Nacional dos Servidores Federais), iniciada em março de 2021, contra a PEC 32 (da reforma administrativa) e a destruição do serviço público.

Foi encaminhada a realização de uma rodada de assembleias (de 17/01 a 11/02) para deliberação da categoria docente sobre a construção de Greve Unificada, com pauta de reposição salarial, condições de trabalho, revogação da EC 95 (que congela investimentos públicos por 20 anos), construção de pauta específica da Educação com as demais entidades que atuam nas IFES – Instituições Federais de Ensino Superior, e aprovou-se apoio para, no próximo dia 18, a paralisação dos Servidores Públicos Federais convocada pelo Fonasefe.

Dia Nacional de Lutas

No caso das IFES, o aumento exponencial da inflação já evaporou quase metade da renda dos docentes, cujo último reajuste salarial ocorreu no longínquo ano de 2015.

Desde 2017, quando se efetivou a última parcela de reposição inflacionária do acordo, uma inflação de 28% corroeu o valor de compra da categoria.

Uma das formas de sucatear a educação pública é fragilizando a carreira docente, precarizando as condições de trabalho, reduzindo a abertura de vagas para concursos, promovendo seguidos cortes de verbas para a pesquisa, o desmonte das agências de fomento público e atropelando a autonomia das universidades e institutos federais.

Essas são algumas das práticas criminosamente regulares desse governo.

O Orçamento de 2022, apesar de ser o maior da história da União, cortou verbas de áreas sociais. Caso do orçamento para a Educação na LOA 2022, que, no total de R$ 120,8 bilhões, será o menor desde 2012.

Paralelamente, aliados desse governo fazem a farra com o “Orçamento Secreto”.

Em defesa de nossos salários, das condições de trabalho, da educação pública e gratuita, da ciência e dos serviços públicos, convocamos docentes, ADs e nosso sindicato nacional, o ANDES-SN, a se engajarem, em 18 de janeiro, no Dia Nacional de Lutas, para juntos prepararmos uma grande campanha salarial em unidade com todo o funcionalismo público.

*Diretoria da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB - S. SInd. do ANDES-SN)

** Este é um artigo de opinião. A visão da autora não necessariamente expressa a linha editorial do Brasil de Fato.

:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato DF no seu Whatsapp ::


Edição: Márcia Silva

Comentários para "Servidores x Governo Bolsonaro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
PL tem dificuldade para atender Bolsonaro e contratar auditoria privada nas eleições

PL tem dificuldade para atender Bolsonaro e contratar auditoria privada nas eleições

Bolsonaro defendeu a contratação de auditoria privada ao falar em suas redes sociais há duas semanas

Brasil deve mostrar que rejeita

Brasil deve mostrar que rejeita "aventuras autoritárias", diz ministro

País serve como vitrine para comunidade global, afirma Fachin

Supremo Tribunal Federal dá 120 dias para Ministério Público concluir inquérito contra Lindbergh Faria

Supremo Tribunal Federal dá 120 dias para Ministério Público concluir inquérito contra Lindbergh Faria

Ex-senador Lindbergh Farias foi acusado de receber vantagens

TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022

TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022

Brasil não tolera 'aventuras autoritárias'

STF cria ferramenta para classificar processos em diretrizes da ONU

STF cria ferramenta para classificar processos em diretrizes da ONU

Objetivos e metas fazem parte da Agenda 2030 das Nações Unidas

Aprovada lei que amplia tratamento de cânceres pelo Sistema Único de Saúde

Aprovada lei que amplia tratamento de cânceres pelo Sistema Único de Saúde

A publicação da lei foi feita no Diário Oficial da União (DOU) na quarta-feira (10) e entrará em vigor em 180 dias

A arte e cultura são raios de esperança tecendo o amanhã com o fim do bolsonarismo

A arte e cultura são raios de esperança tecendo o amanhã com o fim do bolsonarismo

O veto a Lei Aldir Blac 2 deve ser medo ou retaliação diante do poder da arte que desenvolve pensamento crítico do povo

Pecuarista que pediu doação para presidente visitou Palácio do Planalto 11 vezes

Pecuarista que pediu doação para presidente visitou Palácio do Planalto 11 vezes

Participaram da audiência pecuaristas que se declararam dispostos a doar dinheiro para a futura campanha do presidente.

Aliados de Lira pressionam por desobediência a decisão do TSE e derrubada do vice-presidente da Câmara

Aliados de Lira pressionam por desobediência a decisão do TSE e derrubada do vice-presidente da Câmara

Se afastar Marcelo Ramos, Lira poderá abrir nova frente de conflito entre Poderes

STF e TSE decidem assinar termo de cooperação para combater ameaça às eleições no Brasil

STF e TSE decidem assinar termo de cooperação para combater ameaça às eleições no Brasil

Órgãos terão reunião nesta semana para formar aliança a fim de combater os riscos em torno do pleito deste ano, visto que uma parcela da população e uma ala do governo põe, cada vez mais em xeque, o sistema eleitoral brasileiro.

'Tem mais coisa pra acontecer na questão da Petrobras', diz Bolsonaro

'Tem mais coisa pra acontecer na questão da Petrobras', diz Bolsonaro

As declarações foram feitas pela manhã, em Brasília, antes da viagem do presidente a São Paulo, mas só divulgadas no período da tarde por um canal bolsonarista no YouTube - e com cortes.