×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de outubro de 2021

Jair Messias Bolsonaro, a chacota que destrói o Brasil

Jair Messias Bolsonaro, a chacota que destrói o BrasilFoto: Alan Santos / PR

Mais uma demonstração de que Bolsonaro não é o presidente da República, de que ele não manda nada na política brasileira. Apenas ocupa o cargo para criar confusões e ameaçar a democracia

Vanessa Grazziotin- Portal Brasil De Fato - 17/09/2021 - 08:11:34

Reproduziram farto material fabricado pelo gabinete do ódio para mobilizar adeptos

Nesse dia 15 de setembro o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou a abertura de uma investigação sobre o financiamento dos atos antidemocráticos, patrocinados por Bolsonaro pelo possível uso da máquina e de recursos públicos, assim como por caracterização de campanha antecipada.

O presidente, assim como vários ministros, empresários e apoiadores passaram mais de um mês preparando, investindo e mobilizando para os referidos atos.

Bolsonaro apostou todas as suas fichas naquelas mobilizações, imaginando que acumularia forças, talvez não para dar um golpe, mas para acuar a oposição e se fortalecer diante da sociedade e principalmente diante do Supremo Tribunal e do Congresso Nacional.

O resultado porém foi exatamente o inverso.

Os atos, apesar de terem contado com um número importante de pessoas (não podemos tapar o sol com a peneira), ficaram muito aquém das expectativas e dos pesados investimentos, que, como já destacado, segundo fortes evidências, não foram apenas de empresas privadas, do agronegócio principalmente, mas também contaram com dinheiro e com a máquina pública.

Reproduziram farto material fabricado pelo gabinete do ódio para mobilizar adeptos. Chegaram até a distribuir dinheiro entre os manifestantes, conforme a demonstram vários vídeos que circularam pela internet.

Em São Paulo os dois milhões se transformaram em 125 mil e em Brasília o número foi ainda menor, as mobilizações não atingiram 10% do esperado.

Nas ruas estavam parte daquela parcela mais radicalizada, mais atrasada, conservadora e antidemocrática da sociedade brasileira.


: Leia mais: Na mira da CPI, militar da CGU aposta na radicalização, apoia invasão da Esplanada e ataca Aziz

Muitos foram à Brasília imaginando que invadiriam o STF, tal qual fizeram os apoiadores de Donald Trump quando promoveram a frustrada invasão do Capitólio em Washington, no dia 6 de janeiro do corrente ano.

Não restam dúvidas que o caráter dos atos eram contra s democracia e contra as instituições. Cartazes e faixas pediam “intervenção militar com Bolsonaro no poder”, “fechamento do STF e do Congresso Nacional”, “voto impresso”, e outras aberrações antidemocráticas.

No mesmo tom de ataques, assistimos os pronunciamentos do presidente, que, dois dias depois foi obrigado a assinar uma carta de arrego, redigida por Michel Temer.

Um episódio deprimente, vexatório, que mostrou mais uma vez o quanto o Brasil está a deriva, o quanto o Brasil carece de uma liderança, de um estadista, que sustente e fortaleça a democracia, mas que colocasse também o país nos trilhos, que enfrentasse os problemas econômicos e sociais que se agravam a cada dia que passa.

:Leia também: Bolsonaro: avanços, recuos e rearranjos institucionais

Sobre o episódio, nos últimos dias um vídeo viralizou pela internet, era um jantar de empresários com o ex-vice-presidente da república, o golpista Michel Temer. Lá um humorista não apenas imitava Bolsonaro, mas reproduziu de forma perfeita, e arrancando muitos risos, o vexame, a chacota patrocinada pelo presidente da república quando, tal qual um marionete, assinou a carta escrita por Temer.

Mais uma demonstração de que Bolsonaro não é o presidente da República, de que ele não manda nada na política brasileira. Apenas ocupa o cargo para criar confusões e ameaçar a democracia.

E os fatos foram tão graves que não bastam as iniciativas do Tribunal de Contas da União e do Tribunal Superior Eleitoral, é preciso que o próprio parlamento brasileiro enfrente a situação.

Nos Estados Unidos a frustrada invasão do Capitólio redundou na abertura de um processo de impeachment contra o ex-presidente Trump. Não é possível que aqui no Brasil a Câmara permaneça inerte.

A inércia nesse caso não está só se caracteriza num ato de conivência com os crimes praticados pelo presidente da república, mas podem estar se transformando em incentivo para o agravamento da situação, para a efetivação prática das ameaças feitas abertamente, a luz do dia, contra a nossa democracia.


Após os episódios, Bolsonaro ficou ainda mais isolado. Alguns partidos como o PSDB, por exemplo, anunciaram a troca de uma posição de “independência” para oposição ao governo.


Isso é importante, sem dúvida nenhuma, mas, o que está na ordem do dia é a necessidade do Impeachment de Bolsonaro, o que só será possível com a formação de uma frente ampla!

Uma frente que reúna partidos, entidades, personalidades, artistas e intelectuais, não apenas contra Bolsonaro e o seus atos irresponsáveis, uma frente em defesa da democracia e do Estado de Direito, mas uma frente contra os males causados pelo governo, que causou a morte de aproximadamente 600 mil pessoas pela covid 19, que leva o desemprego à mais de 14 milhões de pessoas, e faz com que cerca de 30 milhões sobrevivam de bicos.

Um governo que traz de volta a inflação e a carestia, que pratica preços exorbitantes nos combustíveis. Um governo que só causa miséria e sofrimento na população.

*Vanessa Grazziotin é ex-senadora da República e membro do Comitê Central do PCdoB. Leia outros textos.

**Este é um artigo de opinião. A visão do autor não necessariamente expressa a linha editorial do jornal Brasil de Fato.

Edição: Anelize Moreira

Comentários para "Jair Messias Bolsonaro, a chacota que destrói o Brasil":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Em greve, caminhoneiros dizem que movimento será 'principalmente' em Santos, São Paulo

Em greve, caminhoneiros dizem que movimento será 'principalmente' em Santos, São Paulo

No fim de julho, transportadores da região interromperam as atividades durante um dia, sem impactos à operação do Porto de Santos.

A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenas

A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenas

Indígenas são mais suscetíveis a doenças infectocontagiosas, por isso a pandemia ampliou as ameaças que circundam o segmento

Mais de 200 entidades lançam documento rejeitando MP que extingue Bolsa Família e PAA

Mais de 200 entidades lançam documento rejeitando MP que extingue Bolsa Família e PAA

A MP significa o fim do PAA, instrumento que permite que o poder público adquira a produção de alimentos da agricultura familiar camponesa e doe para instituições que atendem população em situação de vulnerabilidade

Governo não renovará operação das Forças Armadas na Amazônia, diz Mourão

Governo não renovará operação das Forças Armadas na Amazônia, diz Mourão

Mesmo com o fim da operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), militares continuarão a dar apoio logístico, disse o vice-presidente.

PF desarticula contrabando de ouro de terras indígenas venezuelanas

PF desarticula contrabando de ouro de terras indígenas venezuelanas

Operação La Cadena cumpre 40 mandados de prisão, busca e apreensão

Covid pode ter afetado 'cérebro' de Ciro Gomes, diz Lula após pedetista atacar Dilma Rousseff

Covid pode ter afetado 'cérebro' de Ciro Gomes, diz Lula após pedetista atacar Dilma Rousseff

'Vou decidir no ano que vem', diz Lula sobre ser candidato

"O mundo perdeu a admiração pelo Brasil", diz Gilberto Gil

Um dos maiores artistas da MPB e ex-ministro da Cultura lamentou o retrocesso nacional

Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é

Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é "ameaça eterna" em Fernando de Noronha

O arquipélago de Fernando de Noronha é considerado Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO desde 2001

Xuxa chama Bolsonaro de 'genocida' e pede que apoiadores deixem de segui-la no Instagram

Xuxa chama Bolsonaro de 'genocida' e pede que apoiadores deixem de segui-la no Instagram

“E você que é a favor da vida, assine o impeachment agora”, completou a apresentadora, ao compartilhar vídeo em que Bolsonaro reclamava por não ter conseguido ver o jogo do Santos por não estar vacinado

Ciro fala em conspiração de Lula por impeachment de Dilma, que o acusa de mentir

Ciro fala em conspiração de Lula por impeachment de Dilma, que o acusa de mentir

Em entrevista ao podcast Estadão Notícias, Ciro lembrou que nomes com os quais Lula ensaia uma reaproximação política hoje, como os emedebistas Renan Calheiros e Eunício Oliveira, patrocinaram a deposição de Dilma, tratada pelo PT como golpe.

Fascismo está na raiz do bolsonarismo, diz coordenador do Observatório da Extrema Direita

Fascismo está na raiz do bolsonarismo, diz coordenador do Observatório da Extrema Direita

Bolsonaro usou uma série de símbolos ligados ao integralismo em seu governo, como o slogan "Deus, Pátria e Família"