×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de janeiro de 2022

Em duas semanas, tenha o corpo perfeito para o verão, sem sacrifício

Em duas semanas, tenha o corpo perfeito para o verão, sem sacrifícioFoto: Portal Saber Melhor

Um exemplo, bastante comum, pode tornar mais claro o princípio de que tentamos evitar a dor e obter o máximo de prazer em nosso dia a dia.

Portal Saber Melhor - 12/01/2022 - 19:54:02

A maior parte do comportamento humano é voltado e direcionado por dois princípios básicos. O primeiro é evitar a dor, o sofrimento. O segundo princípio, obter alguma espécie de prazer e felicidade. Um exame sincero de todos os atos e tendências que você apresenta comprovarão a afirmação. Esse viés comportamental interfere de modo negativo a nossa capacidade de analisar e solucionar problemas. Existem, no entanto, técnicas que podem auxiliar a fugir desse padrão de comportamento e nos tornar mais racionais. O emprego de tais técnicas aumenta a nossa produtividade, a nossa capacidade de ganhar mais dinheiro e de termos uma vida mais leve e significativa.

A capacidade de analisar os fatos, acontecimentos e atitudes de modo mais isento, sem a influência marcante da tentativa de evitar a dor ou obter prazer, é uma ferramenta importante para o desenvolvimento e progresso material e pessoal.

Um exemplo, bastante comum, pode tornar mais claro o princípio de que tentamos evitar a dor e obter o máximo de prazer em nosso dia a dia.

Você já comprou algum produto por impulso? Em meio a enxurrada de publicidade, você já se viu adquirindo um produto que não necessitava, sem maior reflexão, apenas pelo apelo publicitário. Com certeza sim, todos já fizemos isso. Como diz um refrão que se tornou popular nas redes sociais, “o golpe tá aí, cai quem quer!”.

Em duas semanas, tenha o corpo perfeito para o verão, sem sacrifício.

Um outro exemplo, é a forma como somos tentados a cair nas “tendências” e “promessas” de seguir novas dietas, novas técnicas que prometem realizar milagres em nossa vida financeira e revolucionar aspectos importantes da nossa vida. Em duas semanas, tenha o corpo perfeito para o verão, sem sacrifício.

Sabe a razão pela qual muitos, muitos mesmos, caem nestes golpes que infestam a internet e as redes sociais ?

A razão é simples. Nosso cérebro tende a fazer análises que nos levam ao prazer. Ao analisar as propostas mirabolantes, seguimos o caminho mental da busca do prazer, do resultado fácil e milagroso. Ao mesmo tempo, nosso cérebro evitar pensar na dor. Evitamos pensar que, por exemplo, para emagrecer, temos que deixar de nos alimentar de forma incorreta, nos privando, ainda que parcialmente, de alguns prazeres alimentares. Também não gostamos de pensar em todos os exercícios e cansaço das atividades físicas. Isso, é claro, para os que como eu, não sentem prazer em comer alface e puxar peso na academia.

Pensar na dor e nos sacrifícios nos faz sentir a mesma dor, o mesmo desprazer que sentiríamos ou teríamos se estivéssemos fazendo o que nos desagrada.

Ao pensarmos somente nos resultados benéficos e prazerosos e evitarmos pensar no que nos causa dor, nos colocamos na posição perfeita de vítimas para cair em golpes. Como já dito, o “golpe tá aí, caí quem quer!”.

A maioria dos problemas que as pessoas enfrentam após firmar contratos ou ingressar em sociedades, por exemplo, poderiam ser evitados se houvesse sido realizado um escrutínio profundo, sem fugir da análise do que poderia ter dado errado.

Solução

A solução e a ferramenta para nos proteger de apelos como o “Em duas semanas, tenha o corpo perfeito para o verão, sem sacrifício” é realizar uma análise profunda de todos os prós e contras, em especial dos contras. Essa análise deve ser profunda e, preferencialmente, com a ajuda de um profissional.

Comentários para "Em duas semanas, tenha o corpo perfeito para o verão, sem sacrifício":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Lacuna na repressão à violência psicológica e patrimonial contra a mulher: Risco de depressão e suicídios

Lacuna na repressão à violência psicológica e patrimonial contra a mulher: Risco de depressão e suicídios

Os suicídios em mulheres estão relacionados a violência de gênero, à depressão, privação social, perdas afetivas de cônjuges e filhos. A maioria dos suicídios e tentativas se dão na própria residência da mulher.

Antigo 'Happy Slam', Aberto da Austrália vira Grand Slam da tensão e trapalhadas

Antigo 'Happy Slam', Aberto da Austrália vira Grand Slam da tensão e trapalhadas

Se não bastasse a trapalhada na comunicação com os tenistas, a Tennis Australia surpreendeu ao colocar o jogo de estreia de Djokovic para segunda-feira

A guerra das especulações neste início de ano eleitoral

A guerra das especulações neste início de ano eleitoral

Bate-papo com Hélio Doyle

Era só o que faltava, Paulo Guedes

Era só o que faltava, Paulo Guedes

Decreto que entrega à Casa Civil a palavra final sobre gestão do Orçamento é mais um esvaziamento do ministério da Economia

O novo tiro de Bolsonaro em Barroso e Moraes

O novo tiro de Bolsonaro em Barroso e Moraes

Entenda os repetidos erros do presidente

Governo deve perder presidência da CCJ da Câmara para o União Brasil

Governo deve perder presidência da CCJ da Câmara para o União Brasil

No ano passado, aliados do governo aprovaram 114 propostas dessa forma, algumas delas importantes, como a desoneração da folha de pagamento para 17 setores da economia.

Fascista aprofunda isolamento entre os militares. Bate-papo com Hélio Doyle

Fascista aprofunda isolamento entre os militares. Bate-papo com Hélio Doyle

Ao se isolar cada vez mais, o fascista torna-se ainda mais perigo e o risco de golpe ainda não está afastado.

‘O centro deverá definir o resultado das eleições’, diz sócio da Arko

‘O centro deverá definir o resultado das eleições’, diz sócio da Arko

Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

Os três duros recados dos militares para Jair Bolsonaro

Os três duros recados dos militares para Jair Bolsonaro

Ou… Por que Bolsonaro quebrou a cara com integrantes das Forças Armadas

Nós, os cronistas tarados, abismados. Por Marli Gonçalves

Nós, os cronistas tarados, abismados. Por Marli Gonçalves

Crônicas são pessoais, o que nos dá caminhos para conversar com os leitores sobre experiências, sentimentos, momentos, e de, ao fazer verdadeiras confissões, buscar companhia e alento. Cronistas observam e absorvem o cotidiano, o coletivo.

“Nem sob a ditadura a cultura foi tão chutada como agora”, avalia Juarez Fonseca

“Nem sob a ditadura a cultura foi tão chutada como agora”, avalia Juarez Fonseca

Juarez Fonseca tem de 50 anos a serviço da música e da arte em diversos meios de comunicação