×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de janeiro de 2022

Covid-19: O que se sabe até agora da variante batizada de Ômicron

Covid-19: O que se sabe até agora da variante batizada de ÔmicronFoto: Reprodução Pixabay gratuita

Cientistas correm para decifrar genoma de vírus com 50 mutações

Por Agência Brasil - Brasília - 28/11/2021 - 18:21:49

O surgimento de uma variante no novo coronavírus confirmado em regiões da África preocupa especialistas internacionais de saúde. Batizada de Ômicron - letra grega correspondente à letra “o” do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas.

Onde a variante foi identificada?

Além de países vizinhos a Botsuana - África do Sul, Lesoto, Namíbia, Zimbábue e Eswatini (ex-Suazilândia) -, casos da variante Ômicron também foram registrados em outras regiões: Hong Kong, na China, foi a primeira delas. Israel e Bélgica também tiveram registros, casos que seguem isolados.

O que há de diferente?

Nos casos analisados, constatou-se que a variante é portadora de dezenas de mutações genéticas que podem afetar os índices de contágio e de letalidade. A OMS, entretanto, afirmou que ainda não há estudos suficientes para afirmar as propriedades da Ômicron, mas que já existem esforços científicos acelerados para estudar as amostras. Um time de cientistas de universidades da África do Sul está decodificando o genoma da Ômicron, juntamente com dezenas de outras variantes do novo coronavírus.

Tulio de Oliveira, diretor do Centro para Respostas e Inovações Epidêmicas da universidade de KwaZulu-Natal, afirmou em coletiva de imprensa que a variante Ômicron possui “uma constelação incomum de mutações”. A variante Delta, por exemplo, possuía duas mutações em relação à cepa original do novo coronavírus, enquanto a Ômicron possui cerca de 50 - 30 delas localizadas na proteína Spike, responsável por infectar células saudáveis, explicou o brasileiro.

Em reunião de emergência realizada na tarde de sexta-feira (26), representantes da OMS classificaram a Ômicron como variante de preocupação (VOC) - mesma categoria das variantes Delta e Gama.

Existem casos no Brasil?

O Brasil ainda não registrou nenhum caso da nova variante. Para tentar frear a chegada da Ômicron ao país, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, determinou que voos com origem de países do sul da África não poderão desembarcar no Brasil. Outros países, como a Inglaterra, também proibiram a chegada de voos vindos da região.

A Pfizer, responsável por uma das vacinas inovadoras contra o novo coronavírus, afirmou que espera conseguir colocar no mercado uma nova versão do imunizante que seja eficaz contra a variante Ômicron em um prazo de até 100 dias. A eficácia das vacinas existentes ainda não foi testada em relação à nova variante.

Por que Ômicron?

A OMS usa letras do alfabeto grego para denominar as variantes importantes do novo coronavírus. A última variante registrada havia sido a Mu, que deveria ser seguida das letras gregas Nu (equivalente ao N) e Xi. As letras, no entanto, poderiam causar confusão, já que Nu em inglês tem pronúncia quase idêntica à palavra new (novo). Enquanto a letra Xi corresponde a um nome comum na Ásia, principalmente na China. A OMS decidiu, então, pular as duas letras.

Comentários para "Covid-19: O que se sabe até agora da variante batizada de Ômicron":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
França aprova passaporte vacinal e Djokovic poderá ser barrado em Roland Garros

França aprova passaporte vacinal e Djokovic poderá ser barrado em Roland Garros

A lei foi aprovada no domingo pela Assembleia Nacional da França

Covid abalou democracia em mais da metade dos países da América Latina

Covid abalou democracia em mais da metade dos países da América Latina

A América Latina concentra um terço das mortes por covid no mundo

'O vírus da Covid-19 não é bobo', diz Ana Maria Malik, médica e gestora de saúde

'O vírus da Covid-19 não é bobo', diz Ana Maria Malik, médica e gestora de saúde

Alerta ainda que a chance de surgirem novas variantes seguirá alta enquanto a vacinação não ocorrer em todos os países.

Estudos científicos podem mostrar real impacto da flurona

Estudos científicos podem mostrar real impacto da flurona

'O cenário mais comum em que coinfecções trazem problemas é a infecção secundária: o paciente está se recuperando de um quadro infeccioso e tem um novo quadro causado por outro germe. Mais frequentemente acontece com vírus e em seguida quadros bacterianos ou quadros bacterianos seguidos de fungos. Não costuma haver maior gravidade por conta da segunda infecção”, diz o especialista.

Brasil recebe primeiro lote de vacinas contra Covid-19 para crianças

Brasil recebe primeiro lote de vacinas contra Covid-19 para crianças

Remessa chegou de madrugada ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas

Com predomínio da ômicron, Brasil tem maior taxa de transmissão desde março de 2021

Com predomínio da ômicron, Brasil tem maior taxa de transmissão desde março de 2021

Em Campo Grande, capital sul-mato-grossense, 93% dos leitos de UTIs da rede pública voltados para pacientes com covid-19 estão ocupados

Mais de 50% da população na Europa poderá ser infectada pela Ômicron nas próximas semanas

Mais de 50% da população na Europa poderá ser infectada pela Ômicron nas próximas semanas

A variante Ômicron está presente em quase todos os 53 países do bloco

Sistemas de saúde na Europa sofrem com propagação rápida da Ômicron

Sistemas de saúde na Europa sofrem com propagação rápida da Ômicron

Reino Unido põe companhias privadas em alerta máximo

Gripe e ômicron: Menos letais mas muito transmissíveis, surtos aumentam a ocupação hospitalar

Gripe e ômicron: Menos letais mas muito transmissíveis, surtos aumentam a ocupação hospitalar

Novos leitos estão sendo abertos em diversos estados para atender demanda por aumento de doenças respiratórias

Evolução da Ômicron provoca mudanças na programação de grandes eventos

Evolução da Ômicron provoca mudanças na programação de grandes eventos

Pandemia não acabou, e momento é de restrição, alertam especialistas

Para pesquisador da Fiocruz, carnaval com limite de pessoas não garante segurança sanitária

Para pesquisador da Fiocruz, carnaval com limite de pessoas não garante segurança sanitária

Carnaval de rua foi cancelado, mas Prefeitura do Rio liberou bailes fechados