×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 29 de novembro de 2021

A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenas

A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenasFoto: Alex Pazuello/Prefeitura de Manaus

Indígenas são mais suscetíveis a doenças infectocontagiosas, por isso a pandemia ampliou as ameaças que circundam o segmento

Cristiane Sampaio-brasil De Fato | Fortaleza (ce) - 15/10/2021 - 17:04:40

“É claramente uma vitória da luta indígena e dos partidos de oposição”, afirma deputado, ao comentar derrota do Planalto

Após uma disputa que começou no Poder Judiciário, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quinta-feira (14), a Medida Provisória (MP) 1054/21, que prevê recursos extraordinários da ordem de R$ 234,3 milhões para conter a transmissão da covid-19 entre comunidades indígenas.

Todos os partidos orientaram as bancadas a votarem pela admissão da MP, que foi chancelada por meio de votação simbólica, quando não há contagem de votos. A medida será avaliada agora pelo Senado, e o texto precisa ser finalmente aprovado até a próxima terça (19) para que seja convertido em lei.

::Projeto analisa impactos e respostas à Covid-19 nas comunidades indígenas::

A edição da MP pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no início de junho veio após determinação do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 709.

A ação foi apresentada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) em parceria com os partidos políticos PT, PSB, PDT, Psol, PCdoB e Rede, que cobraram a apresentação e a execução do Plano Geral de Enfrentamento à Covid para Povos Indígenas.

VEJA TAMBÉM:


Por falta de atendimento às necessidades básicas e sanitárias das comunidades indígenas durante a pandemia, o governo Bolsonaro sofreu diferentes derrotas parciais na Corte. Barroso obrigou a gestão a formatar por pelo menos três vezes o plano inicialmente apresentado pelo Executivo por descumprimento a diferentes determinações.


Uma quarta versão foi parcialmente homologada em março deste ano, após o ministro destacar uma “profunda desarticulação” dos órgãos do governo na confecção do plano. A edição da MP veio na sequência, como forma de atender à liberação de créditos para a execução das ações propostas, que vinham sendo demandadas pelas comunidades desde o princípio da crise sanitária no país.

“Por isso nós consideramos que a aprovação dessa MP é claramente uma vitória da luta indígena e dos partidos de oposição”, disse ao Brasil de Fato o relator da medida, deputado Nilto Tatto (PT-SP), que não fez alterações no texto original.

A MP prevê que a maior parte dos recursos – R$ 173,4 milhões – será destinada à distribuição de cestas básicas em comunidades tradicionais. A ideia da ação é evitar que essas populações precisem se dirigir até centros urbanos, reduzindo, assim, os riscos de infecção por covid. Os povos indígenas são mais suscetíveis a doenças infectocontagiosas, por isso a pandemia ampliou as ameaças que circundam o segmento.

A outra parte dos recursos será destinada para os ministérios da Cidadania e de Defesa e para a Fundação Nacional do Índio (Funai), e deverá ser investida, entre outras medidas, em custeio de agentes para atuar em barreiras sanitárias que controlam o fluxo de pessoas e produtos destinados a áreas tradicionais.

“Agora, com a aprovação da MP pela Câmara, nós esperamos que próxima semana seja aprovada no Senado, e aí não tem mais justificativa pro governo não tocar essas políticas tão necessárias para o cuidado dos povos indígenas, em especial dos povos isolados e de recente contato”, afirma Tatto.

Os recursos que irão custear as ações provêm de superávit financeiro verificado em 2020 no balanço patrimonial do Poder Executivo.

Edição: Vinícius Segalla

Comentários para "A contragosto, governo vê Câmara aprovar verba de R$ 234 mi para combater covid entre indígenas":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Trabalhadores do setor aéreo cancelam greve programada para dia 29

Trabalhadores do setor aéreo cancelam greve programada para dia 29

TST mediou acordo no setor e funcionários aceitaram proposta

Transgêneros e não binários são 2% dos brasileiros, revela estudo

Transgêneros e não binários são 2% dos brasileiros, revela estudo

Pesquisadores ouviram 6 mil pessoas em 129 cidades de todo o país

Mais verbas para ciência, pedem ICTP e entidades de C,T&I

Mais verbas para ciência, pedem ICTP e entidades de C,T&I

Às 11h estavam em frente ao prédio do Ministério da Economia servidores, pesquisadores, professores e pós-graduandos.

Empresa chinesa BYD desenvolve projeto sustentável e cultural no Brasil

Empresa chinesa BYD desenvolve projeto sustentável e cultural no Brasil

O Rio é a primeira cidade no Brasil a ter um ônibus elétrico em plena atividade cultural.

Futuro sem telefones fixos: em um ano, mais de 1,3 milhões de linhas telefônicas são desativadas no Brasil

Futuro sem telefones fixos: em um ano, mais de 1,3 milhões de linhas telefônicas são desativadas no Brasil

Os indicadores acabam de ser compilados pela plataforma Melhor Plano, especialista no ramo de telecom e parte do grupo Méliuz

México cancela acordo de isenção de vistos com o Brasil para barrar imigração ilegal aos EUA

México cancela acordo de isenção de vistos com o Brasil para barrar imigração ilegal aos EUA

Segundo o governo mexicano, há trabalho em coordenação com autoridades brasileiras para promover a migração regular, e o tema será reavaliado em no máximo seis meses.

Fronteiras do Brasil seguem abertas, apesar do avanço de nova variante do coronavírus

Fronteiras do Brasil seguem abertas, apesar do avanço de nova variante do coronavírus

Ministro da Casa Civil chegou a anunciar fechamento, mas decisão não foi aplicada no Diário Oficial da União

Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho

Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho

A defesa dos acusados alegou que, na denúncia apresentada pela Promotoria, há elementos que indicam interesse jurídico da União na ação. É o caso de possíveis danos a sítios arqueológicos, que são bens da União.

Vale a pena criar novo Fundo Amazônia? Especialista responde

Vale a pena criar novo Fundo Amazônia? Especialista responde

Criado em 2008, Fundo Amazônia financiado majoritariamente por Alemanha e Noruega não recebe repasses desde 2019. Em entrevista com Sputnik Brasil, especialista analisou o que governo poderia fazer com a estrutura.

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Poluição e escassez de água potável também preocupam

Segundo dia de aplicação do Enem é amanhã

Segundo dia de aplicação do Enem é amanhã

É recomendado que se leve o Cartão de Confirmação da Inscrição