×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 03 de julho de 2022

Univaja em audiência no Senado: ‘Quantos Brunos e quantos Doms têm que morrer?

Univaja em audiência no Senado: ‘Quantos Brunos e quantos Doms têm que morrer?Foto: Pedro França/Agência Senado

“Estou afirmando que nós teremos mais. É importante que o Parlamento acompanhe essa situação”, disse Marubo

Redação Rede Brasil Atual - Portal Brasil De Fato - 23/06/2022 - 06:50:32

Diretoria da Univaja está “marcada” para morrer, alerta ativista em audiêncie: “Isso não é vida”

“Que país é esse que nós estamos vivendo, excelências? Quantos mais Brunos e quantos mais Doms têm que morrer? É público e notório que a diretoria da Univaja toda está marcada com a mesma marca que Bruno e o Dom. Temos que andar com segurança, temos que andar com carro blindado. Isso não é vida, nós não estamos em um país em guerra.” O desabafo é do procurador jurídico da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari ( Univaja ), Eliesio Marubo, em depoimento na audiência pública conjunta das comissões de Direitos Humanos (CDH) e Temporária sobre a Criminalidade na Região Norte do Senado, nesta quarta-feira (22). O tema central da reunião – convocada por iniciativa do senador Humberto Costa (PT-PE), presidente do colegiado – foi a violência na Amazônia.

Redação Rede Brasil Atual

Marubo pediu à Polícia Federal que faça uma investigação mais ampla sobre os assassinatos do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo. Ele afirmou que, além de a diretoria da Univaja estar “marcada” e ameaçada de morte, a tensão e a violência se intensificaram a partir de 2019. Não por acaso, foi o primeiro ano do atual governo de Jair Bolsonaro.

“O que o MP fez com as denúncias?”

Segundo Marubo, a atuação da Univaja é pautada pelo interesse das comunidades da região, já que o Estado vem atuando de forma omissa. “Gostaria muito de ouvir o que a Funai tem a dizer. O que o Ministério Público fez com tantas denúncias que temos feito?”, questionou.

O dirigente se mostrou pessimista. “Certamente teremos mais casos na região”, alertou. “Trouxemos nossas preocupações que não foram ouvidas e o resultado foi esse: essa catástrofe que nós tivemos no Javari e certamente teremos mais. Eu estou afirmando que nós teremos mais. É importante que essa Casa atue! É importante que o Parlamento acompanhe essa situação”, pediu.

É unânime a denúncia pelos representantes de entidades indigenistas de que os assassinatos de Bruno e Dom não foram fatos isolados, mas fazem parte de um cenário de criminalidade na região amazônica, em especial no Vale do Javari, que não para de crescer. Segundo o presidente do Indigenistas Associados (INA), Fernando Vianna, há um quadro de invasão de pessoas “que ingressam nas terras para atividades ilegais”.

“Junto com os crimes ambientais mais costumeiros, como pesca e caça ilícitas, há articulações com forças do crime muito mais complexas, com conexões com o narcotráfico internacional e o comércio de armas”, disse Vianna. Ele afirmou ainda que a atual diretoria da Funai não está comprometida com direitos indígenas, mas com grupos econômicos interessados na posse de terras e nos recursos naturais.

Premonição

Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), entre as denúncias feitas pela Univaja há um ofício de abril em que já há informações sobre pesca ilegal naquela região da Amazônia com a participação de um homem conhecido como Pelado, que foi agora apontado como um dos assassinos de Bruno e Dom.

“Esse ofício é quase uma premonição. Dá informações sobre quem faz a atividade ilegal, onde mora, como atua e que está armado. Não demorou 60 dias, mataram Bruno e Dom”, disse o senador. “Deixaram ocorrer esses homicídio, no mínimo, com a prevaricação criminosa do Estado brasileiro”, acrescentou

Comentários para "Univaja em audiência no Senado: ‘Quantos Brunos e quantos Doms têm que morrer?":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Tive que sair do meu país para reivindicar um direito, diz esposa de camponês assassinado no PR

Tive que sair do meu país para reivindicar um direito, diz esposa de camponês assassinado no PR

Antônio Tavares foi morto em ação da PM, em 2000; caso está sendo julgado pela Corte Interamericana de Direitos Humanos

Lula se reúne com presidente de Portugal; Bolsonaro cancelou agenda com europeu

Lula se reúne com presidente de Portugal; Bolsonaro cancelou agenda com europeu

"Não é haver um almoço ou não que altera o quanto os mais de 200 mil brasileiros gostam de Portugal e estão cá." diz Marcelo Rebelo

Exército admite que precariedade em sistema não permite saber dados sobre armas em posse dos CACs

Exército admite que precariedade em sistema não permite saber dados sobre armas em posse dos CACs

Além disso, mostra que o Exército desrespeitou a decisão Tribunal de Contas da União (TCU), que ordenou a modernização dos bancos de dados em 2017.

Presidente de Portugal se pronuncia após Bolsonaro cancelar almoço: 'Ninguém morre'

Presidente de Portugal se pronuncia após Bolsonaro cancelar almoço: 'Ninguém morre'

O presidente Jair Bolsonaro (PL) decidiu que não se encontrará com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

Brasileiros são bem-vindos em Portugal, diz presidente português

Brasileiros são bem-vindos em Portugal, diz presidente português

Novo visto permite aos brasileiros procurarem emprego em Portugal

Tombamento já poderia ter ocorrido em 2021 e Serra do Curral já estaria protegida da mineração

Tombamento já poderia ter ocorrido em 2021 e Serra do Curral já estaria protegida da mineração

Na Assembleia Legislativa, deputada denunciou, na quinta (30), que a Gute Sicht retira 40 caminhões de terra por dia

Para petroleiro, se a Regap for vendida, gasolina e gás podem ficar ainda mais caros em Minas

Para petroleiro, se a Regap for vendida, gasolina e gás podem ficar ainda mais caros em Minas

Refinaria da Petrobrás, em Betim, pode ser privatizada pelo governo Bolsonaro e população mineira pagará a conta

Lira cria 'sala vip' na Câmara para liberar verbas do orçamento secreto

Lira cria 'sala vip' na Câmara para liberar verbas do orçamento secreto

A "salinha do orçamento secreto" ocupa o número 135 da Ala B do Anexo II, também conhecido como "corredor das comissões"

“Estado brasileiro foi sequestrado e Funai virou instrumento de ataque aos povos indígenas”, diz Erika Kokay

“Estado brasileiro foi sequestrado e Funai virou instrumento de ataque aos povos indígenas”, diz Erika Kokay

Segundo a parlamentar, o governo Bolsonaro tem ""compromisso com as boiadas" .e "está corroendo o estado". "A Funai hoje é uma instituição anti-indigenista.”, frisou

Caso Pedro Guimarães pode apressar a adoção de novas regras nos bancos

Caso Pedro Guimarães pode apressar a adoção de novas regras nos bancos

As mudanças em estudo incluem a exigência de que toda denúncia de assédio sexual seja protocolada com o superior hierárquico do assediador

Embora tímida, reaproximação do Brasil com a Venezuela é 'muito positiva', aponta cientista político

Embora tímida, reaproximação do Brasil com a Venezuela é 'muito positiva', aponta cientista político

Um interesse claro reside na suavização do discurso norte-americano em relação à Venezuela: o petróleo.