×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 21 de setembro de 2021

Principais CEOs do setor de energia eólica exigem que o G20 Foto: Pixabay

Principais CEOs do setor de energia eólica exigem que o G20 "leve a sério" as energias renováveis

As instalações de energia eólica e renováveis estão atualmente ficando muito abaixo da trajetória necessária para atender às metas climáticas internacionais, exigindo ações urgentes para melhorar as políticas energéticas.

Estadão Conteúdo - 19/07/2021 - 07:00:42

Os principais CEOs do setor eólico global se uniram para convocar os membros do G20 a mostrar liderança na crise climática, elevando as ambições nacionais e estabelecendo urgentemente planos concretos visando o aumento da produção de energia eólica para substituir os combustíveis fósseis.


Representando a Coalizão Global de Energia Eólica para a COP26, 23 CEOs enviaram uma carta aberta aos líderes do G20 reconhecendo que, embora tenha havido algum progresso na transição energética, os atuais compromissos de carbono zero líquido dos países do G20 ainda colocam o mundo em rota de aquecimento global de 2,4°C, muito além do que é necessário para evitar os piores impactos das mudanças climáticas.



Enquanto isso, as instalações de energia eólica e renováveis estão atualmente ficando muito abaixo da trajetória necessária para atender às metas climáticas internacionais, exigindo ações urgentes para melhorar as políticas energéticas.



"Os países membros do G20 representam mais de 80% das emissões globais de carbono relacionadas à energia, portanto, os líderes desses países detêm o poder e o dever público de transformar o sistema energético mundial", disse Ben Backwell, CEO da GWEC . "Esses países precisam levar a sério as energias renováveis e, em particular, a energia eólica como a solução de energia limpa com o maior potencial para ajudar o mundo a satisfazer as metas do Acordo de Paris."

A carta é assinada pelos líderes das maiores empresas de energia eólica, incluindo Vestas Wind Systems, Siemens Gamesa Renewable Energy, Orsted, SSE, RWE e Mainstream Renewable Power, e associações que representam o setor em importantes localidades como Reino Unido, Brasil, China, México e África do Sul.



Os signatários destacam que o recente roteiro da Agência Internacional de Energia (IEA) mostra que a implementação de energia eólica anual deve quadruplicar de 93 GW em 2020 para 390 GW em 2030 para atender a um cenário de carbono zero líquido até 2050. A IEA e a IRENA estão alinhadas quanto à capacidade total de energia eólica necessária para um cenário de carbono zero líquido compatível com uma rota de aquecimento de 1,5°C, prevendo uma necessidade de 8.265 GW e 8.100 GW até 2050, respectivamente.



A carta argumenta que, se as taxas de crescimento atuais para a energia eólica persistirem, a capacidade eólica global ficará drasticamente abaixo dos volumes necessários para a neutralidade de carbono até 2050, com insuficiência de instalações de até 57%

"Os países do G20 têm um enorme potencial de energia eólica inexplorado que pode atender parcelas significativas da demanda nacional de eletricidade, mas perto do que podem implementar, ainda estão muito no início. Com o ritmo atual das instalações de energia eólica em todo o mundo, prevê-se que instalaremos apenas menos da metade da capacidade de energia eólica necessária para atingir carbono zero líquido até 2050", disse Rebecca Williams, diretora da COP26 da GWEC

Para alcançar esse nível necessário de implementação, a carta aberta convoca as nações do G20 a:


  1. Estimular a ambição pela energia eólica em nível nacional
  2. Implementar políticas eficazes e marcos regulatórios para aquisição e fornecimento de energia renovável
  3. Comprometer-se com a planificação de infraestrutura de energia limpa, incluindo redes e transmissão.
  4. Estabelecer mecanismos de formação de preços de carbono eficazes e confiáveis.
  5. Alinhar os fluxos financeiros nacionais e regionais com referências para uma rota compatível com 1,5°C.
  6. Desenvolver políticas coesas e inclusivas que dediquem recursos públicos à mudança para uma economia de emissão de carbono zero líquido.



Nos últimos 20 anos, a energia eólica demonstrou sua capacidade de aumentar exponencialmente a produção, ao mesmo tempo em que reduz custos, gera milhões de empregos qualificados e impulsiona o investimento em infraestrutura de larga escala.


Entretanto, a carta enfatiza que alcançar a escala e a velocidade de implementação necessárias para desfrutar desses benefícios e alcançar as ambições de zero carbono líquido é irrealista sob as atuais condições de "negócios feitos como de costume" e inatingível sem uma mudança decisiva e urgente nas políticas dos países do G20.



A carta aberta aos chefes de estado do G20 também foi compartilhada com uma série de líderes governamentais, de energia, financeiros e institucionais, incluindo os líderes da COP26, UNFCCC, IRENA, IEA, FMI, WEF e vários bancos multilaterais de desenvolvimento.



Anexo

- A lista completa dos CEO signatários:


  • GWEC : Ben Backwell, CEO
  • RenewableUK: Dan McGrail, Chief Executive
  • SSE: Alistair Phillips-Davies, CEO
  • Orsted : Mads Nipper, CEO
  • Mainstream Renewable Power: Mary Quaney, CEO do grupo
  • Vestas Wind Systems: Henrik Andersen, presidente e CEO do grupo
  • Siemens Gamesa Renewable Energy: Andreas Nauen, CEO
  • Bachmann: Bernhard Zangerl, CEO
  • RES: Ivor Catto, CEO
  • Aker Offshore Wind: Tove Roskaft, COO
  • RWE Renewables GmbH: Anja-Isabel Dotzenrath, CEO
  • BayWa r.e. AG: Matthias Taft, CEO
  • Principle Power: Aaron Smith, diretor comercial
  • AMDEE (Asociación Mexicana de Energía Eólica): Leopoldo Alberto Rodríguez Olivé, presidente
  • ABEEolica (Associação Brasileira de Energia Eólica): Elbia Gannoum, CEO
  • SER Colômbia (Asociación de Energías Renovables Colombia): Germán Corretor Avella, CEO
  • Akselos: Thomas Leurent, CEO
  • CEA (Cámara Eólica Argentina): René Vaca Guzmán, presidente
  • DNV: Ditlev Engel, CEO, Energy Systems
  • EDPR: Miguel Stilwell d'Andrade, CEO, EDP e EDPR
  • Glennmont Partners from Nuveen: Joost Bergsma, CEO
  • South Africa Wind Energy Association: Ntombifuthi Ntuli, CEO
  • CWEA (Chinese Wind Energy Association): Qin Haiyan, secretário-geral



- Para um kit de imprensa on-line, incluindo a carta do G20, estatísticas sobre energia eólica, fotos, citações e especialistas no assunto disponíveis para entrevistas, clique aqui.


Sobre a GWEC

A GWEC é uma organização de membros que representa todo o setor de energia eólica. Os membros da GWEC representam mais de 1.500 empresas, organizações e instituições em mais de 80 países, como fabricantes, desenvolvedores, fornecedores de componentes, institutos de pesquisa, associações nacionais de energia eólica e renovavel, provedores de eletricidade, financiadoras e seguradoras. Acesse https://gwec.net/.



Fique em dia com a GWEC e receba os dados e informações mais recentes sobre o setor eólico global no Twitter, LinkedIn e assinando o boletim informativo, https://gwec.net/newsletter-sign-up/.



Logotipo- https://mma.prnewswire com/media/1575244/Global_Wind_Energy_Council_Logo.jpg


Comentários para "Principais CEOs do setor de energia eólica exigem que o G20 "leve a sério" as energias renováveis":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório