×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 29 de novembro de 2021

Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é "ameaça eterna" em Fernando de Noronha

Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é Foto: Divulgação/ICMBio

O arquipélago de Fernando de Noronha é considerado Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO desde 2001

Lucila Bezerra-brasil De Fato | Recife (pe) - 14/10/2021 - 15:39:28

Ambientalistas pressionam o poder público para a retirada da oferta do bloco que comporta Noronha e Atol das Rocas

Após o fracasso do leilão de blocos de petróleo, gás e biocombustíveis da Agência Nacional do Petróleo (ANP), ocorrido em 07 de outubro, onde apenas 5 dos 92 blocos foram arrematados, os que sobraram estão em oferta permanente, o que significa que estão em disponibilidade contínua, representando uma "ameaça eterna" a um ecossistema marítimo e insular que é frágil, rico e exuberante.

Na visão do governo federal, a dificuldade na venda em algumas áreas foi associada à pressão de ambientalistas. Este é o caso da Bacia Potiguar, no Nordeste brasileiro, cuja exploração poderia impactar a biodiversidade do Arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, e do Atol das Rocas, no Rio Grande do Norte.






“O Arquipélago de Fernando de Noronha, e também o Atol das Rocas, que são unidades de preservação que estão dentro das áreas de leilão de petróleo, são 'hotspots' de biodiversidade e é onde a gente encontra diversas espécies endêmicas, que são espécies que só ocorrem no Brasil”, afirma a bióloga e pesquisadora residente em Noronha Gislaine Lima.







“Mesmo que as empresas que um dia queiram comprar esses lotes digam que os impactos vão ser amenizados, vão ser controlados, caso haja um derramamento, é impossível você controlar todos os impactos”, esclarece a especialista.





Apesar das ilhas oceânicas serem consideradas sítios do Patrimônio Mundial Natural pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) desde 2001, o governo federal sequer realizou estudos de impactos ambientais antes de abrir o leilão.


::Leilão da ANP: áreas próximas a Fernando de Noronha e Atol das Rocas não receberam propostas::

“Quando você vai submeter qualquer área ao processo de leilão, tem que identificar as características da área; se a área for sensível do ponto de vista da conservação da natureza, é necessário que se façam análises prévias e no caso de áreas em alto mar, se verifica a necessidade de uma análise que se estude a necessidade de perfuração, abalos sísmicos e o impacto que isso pode causar no ecossistema, e isso não foi feito”, analisa José Bertotti, Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco.

Bertotti complementa afirmando que “Caso o leilão aconteça, lá seja arrematado e, se acontece, o que é muito provável, um dano ambiental, ele é irreparável e não tem custo. Então, é necessário que se cumpra todo o rito”. O Governo do Estado de Pernambuco, partidos políticos e institutos ambientais entraram com uma ação contra o leilão junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), que segue em tramitação.

Pernambuco foi um dos estados que sofreu com o vazamento de óleo que atingiu diversas praias do Nordeste em 2019 e, até hoje, dois anos depois, ainda sofre com os impactos do derramamento, sem que ninguém tenha sido responsabilizado. “Nós vamos continuar muito vigilantes com relação a essa questão, porque a gente viveu uma experiência trágica. Pernambuco não produz petróleo, Pernambuco não tem royalties de petróleo, mas nós tivemos que fazer a limpeza do petróleo, que não foi tirado da costa pernambucana”, analisa o secretário.

::Análise | Por que o mundo não quer explorar petróleo no Brasil::

Como o bloco da Bacia Potiguar pode ser arrematado a qualquer momento, movimentos e organizações que defendem o Meio Ambiente devem continuar em constante vigília. “Se continuarem leiloando, a gente vai continuar pressionando. A gente não está sozinho, a gente está junto com a comunidade, a gente está junto com os órgãos ambientalistas. Então, a gente segue na defesa do meio ambiente, porque esta é a nossa bandeira”, assegura a bióloga.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Vanessa Gonzaga

Comentários para "Após leilão fracassado, oferta permanente de petróleo é "ameaça eterna" em Fernando de Noronha":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Trabalhadores do setor aéreo cancelam greve programada para dia 29

Trabalhadores do setor aéreo cancelam greve programada para dia 29

TST mediou acordo no setor e funcionários aceitaram proposta

Transgêneros e não binários são 2% dos brasileiros, revela estudo

Transgêneros e não binários são 2% dos brasileiros, revela estudo

Pesquisadores ouviram 6 mil pessoas em 129 cidades de todo o país

Mais verbas para ciência, pedem ICTP e entidades de C,T&I

Mais verbas para ciência, pedem ICTP e entidades de C,T&I

Às 11h estavam em frente ao prédio do Ministério da Economia servidores, pesquisadores, professores e pós-graduandos.

Empresa chinesa BYD desenvolve projeto sustentável e cultural no Brasil

Empresa chinesa BYD desenvolve projeto sustentável e cultural no Brasil

O Rio é a primeira cidade no Brasil a ter um ônibus elétrico em plena atividade cultural.

Futuro sem telefones fixos: em um ano, mais de 1,3 milhões de linhas telefônicas são desativadas no Brasil

Futuro sem telefones fixos: em um ano, mais de 1,3 milhões de linhas telefônicas são desativadas no Brasil

Os indicadores acabam de ser compilados pela plataforma Melhor Plano, especialista no ramo de telecom e parte do grupo Méliuz

México cancela acordo de isenção de vistos com o Brasil para barrar imigração ilegal aos EUA

México cancela acordo de isenção de vistos com o Brasil para barrar imigração ilegal aos EUA

Segundo o governo mexicano, há trabalho em coordenação com autoridades brasileiras para promover a migração regular, e o tema será reavaliado em no máximo seis meses.

Fronteiras do Brasil seguem abertas, apesar do avanço de nova variante do coronavírus

Fronteiras do Brasil seguem abertas, apesar do avanço de nova variante do coronavírus

Ministro da Casa Civil chegou a anunciar fechamento, mas decisão não foi aplicada no Diário Oficial da União

Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho

Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho

A defesa dos acusados alegou que, na denúncia apresentada pela Promotoria, há elementos que indicam interesse jurídico da União na ação. É o caso de possíveis danos a sítios arqueológicos, que são bens da União.

Vale a pena criar novo Fundo Amazônia? Especialista responde

Vale a pena criar novo Fundo Amazônia? Especialista responde

Criado em 2008, Fundo Amazônia financiado majoritariamente por Alemanha e Noruega não recebe repasses desde 2019. Em entrevista com Sputnik Brasil, especialista analisou o que governo poderia fazer com a estrutura.

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Poluição e escassez de água potável também preocupam

Segundo dia de aplicação do Enem é amanhã

Segundo dia de aplicação do Enem é amanhã

É recomendado que se leve o Cartão de Confirmação da Inscrição