×
ContextoExato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 24 de setembro de 2018


Movimentos relatam 'indignação' com decisão sobre multa de R$ 500 mil

Movimentos relatam 'indignação' com decisão sobre multa de R$ 500 mil

Membros do PT, da CUT e outros movimentos que participam do acampamento 'Vigília democrática Lula Livre'; penalidade é de aplicação diária e também vale para militantes favoráveis à prisão de Lula

Da Redação / Do Destak / Foto: Fotos Públicas - 15/04/2018 - 11:57:59

Os movimentos sociais que fazem a manutenção dos acampamentos em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontra preso desdo o último sábado (7), se declararam indignados com a decisão que prevê multa diária de R$ 500 mil aos militantes que não deixarem o local. 

"Foi com indignação que o PT, a CUT e os demais movimentos sociais receberam a notícia de que a justiça determinou multa para os movimentos sociais e demais manifestantes caso o acampamento 'Vigília democrática Lula Livre' decida permanecer no entorno da sede da Polícia Federal em Curitiba", diz a nota.

A decisão, assinada pelo juiz substituto da 3ª Vara da Fazenda Pública, Jailton Juan Carlos Tontini, atinge não só as pessoas que protestam contra a prisão do ex-presidente Lula, mas também é direcionada àqueles que são favoráveis à detenção do petista. Como réus, respondem a Central Única dos Trabalhadores (CUT); o Partido dos Trabalhadores (PT/PR); Movimento Curitiba Contra Corrupção; Movimento Brasil Livre (MBL) e Movimento UFPR Livre. Desde que o ex-presidente foi conduzido para o prédio cerca de 500 pessoas ocupam os arredores do prédio da PF. 

Segundo Dr Rosinha, presidente do PT do Paraná, "a decisão é totalmente desproporcional e desequilibrada. "Um absurdo jurídico. Trata-se de tentar cercear o livre direito a manifestação", ponderou.

Já a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, destacou que o "presidente foi preso de forma injusta, em um processo viciado e cheio de falhas". "Lula é preso político. Lidera todas as pesquisas de intenção de voto. É mais um escândalo na vergonhosa escalada de perseguição contra Lula", afirmou .

O presidente da CUT, Vagner Freitas, avaliou que essa é uma "atitude antidemocrática na escalada autoritária e conservadora que tomou conta do país desde 2014 quando os que perderam as eleições deram início ao caos institucional e a onda de intolerância e ódio contra quem defende direitos sociais e trabalhistas".

"E a justiça aproveitando a baderna em que o golpe jogou o Brasil para fazer política, tentar interferir no processo eleitoral criminalizando os movimentos populares e sindical e partidos progressistas", ponderou Vagner.

Ainda de acordo com a nota divulgada nesta tarde pelo PT e pela Central Única dos Trabalhadores, o advogado Eugênio Aragão ressalta que a decisão é "claramente inconstitucional e arbitrária" e que o "PT e a CUT tomarão todos as medidas jurídicas para garantir o livre direito a manifestação". 

Comentários para "Movimentos relatam 'indignação' com decisão sobre multa de R$ 500 mil":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório