ContextoExato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 19 de fevereiro de 2018

Conheça alternativas ecologicamente corretas para o glitter de carnaval

Conheça alternativas ecologicamente corretas para o glitter de carnaval

Marcas lançam produtos biodegradáveis que prometem substituir a purpurina tradicional

Estadão /ANNA ROMBINO - ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO - 03/02/2018 - 18:35:31

O glitter já virou praticamente essencial no carnaval. Dos blocos de rua à avenida, os foliões usam e abusam dele para deixar o visual mais colorido e divertido. Porém, é preciso ficar atento com o produto usado para sair brilhando por aí. O glitter e a purpurina são feitos de microplásticos, que não se decompõem no meio-ambiente. Ao sair da folia e tomar banho, as partículas vão pelos ralos até chegar no oceano e, por serem muito pequenas, é praticamente impossível as recolher.

Mas nem tudo está perdido: algumas marcas preocupadas com o meio-ambiente lançaram alternativas ecologicamente corretas para o glitter, para quem quer brilhar muito sem prejudicar o planeta. Confira abaixo algumas opções:

Shock

A marca de protetor solar com pegada divertida lançou para este carnaval um gel de glitter nas cores prateado e dourado - o melhor é que o produto possui FPS 25. Ele é vegano, hipoalergênico e o brilho é feito de pó de mica, um mineral biodegradável. A embalagem com 100 mL custa R$ 40.

Glitra

As sócias Maíra Inaê e Noemi Puig fundaram a Glitra após irem ao festival Burning Man e perceberem que lá o glitter é proibido por causa de seu impacto ambiental. Elas desenvolveram uma tecnologia para produzir a purpurina a partir de um filme à base de celulose de eucalipto renovável - e não plástico, como o convencional. O produto está disponível em quatro cores (turquesa, rosa, dourado e prateado) e custa R$45 a lata com 8 gramas ou R$ 180 o kit com todas as tonalidades.

Pura

Feito a partir de algas e minerais, o glitter da Pura é produzido artesanalmente, por isso, cada lote fica com tons diferentes. Suas partículas são maiores do que da purpurina tradicional, o que deixa o visual do folião único. Ele está disponível em duas versões: em pasta, que tem quatro cores (azul, vermelha, branca e dourada) e custa R$ 32 o pote com 30 mL, e em flocos, que possui 18 tonalidades que custam entre R$ 10 e R$ 16. Por causa da procura, os produtos estão esgotados na loja online, mas ainda estão disponíveis para o carnaval deste ano em pontos de venda físicos.

Lush

100% vegetariana e livre de crueldade, a empresa de cosméticos inglesa possui algumas alternativas para bilhar no carnaval sem poluir, já que todos os seus produtos são feitos de pó de mica. Para a folia, os indicados são as barras hidratantes corporais, que possuem duas versões, a Shimmy Shimmy, que ilumina e dá brilho ao corpo, e a Black Stockings, que também que proporciona um bronze de verão sem os efeitos nocivos do sol. A Shimmy Shimmy custa R$ 52 e a Black Stockings, R$ 74. Ambas possuem 30 gramas.

Lola

Especializada em cabelos, a Lola Cosmetics lançou neste verão um gel hidratante pós-sol que pode virar hit também no carnaval. A Geléia Corporal Be(M)dita Praia possui partículas douradas, feitas de pó de mica, que dão o mesmo efeito do que a purpurina tradicional. A embalagem de 200 mL custa R$ 26.

Comentários para "Conheça alternativas ecologicamente corretas para o glitter de carnaval":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório